Blog do LeoBlogsConteúdo

Rally Dakar 2018: Peugeot deixará seus pilotos competirem entre si

Um nova história foi escrito pela Peugeot no Dakar desde o seu retorno em 2015. O evento já vibrou na década de 80 para os leões que rugiram então com o sotaque finlandês de Vatanen e Kankunnen. Estes do século 21 devoraram a concorrência com a mesma ferocidade, Stéphane Peterhansel liderou a vitória em 2008, 2016 e defendeu o seu título à frente de seus dois companheiros de equipe, Sébastien Loeb e Cyril Despres, que também são pilotos de muita qualidade do time francês.

O seu favoritismo é evidente entre os seus concorrentes, que terá uma versão revisada e melhorada de seu protótipo, chamado 3008 Maxi. Titular e concorrente inesgotável, “Peter” é ainda o favorito a ganhar e deixa no ar a dúvida de uma possível aposentadoria, 30 anos depois da sua primeira participação. O seu companheiro de equipe, Sébastien Loeb, exibe muito talento, chegando a vencer 9 especiais em suas duas participações, e especialmente um segundo lugar a 5 minutos de seu capitão de equipe no ano passado. Em um modo de pilotagem totalmente diferente, Cyril Despres também mostrou adaptabilidade extraordinária ao seu novo protótipo, subindo para o terceiro lugar em 2017 em sua terceira tentativa, depois os seus cinco títulos conquistados em uma motocicleta. Completando o time, Carlos Sainz perdeu um pouco de seu brilho com uma série de cinco abandonos consecutivos, mas sua condução manteve toda a agressão e também pode ser uma receita.

Verificação dos carros – Dakar 2018.

No entanto, os rivais, em nenhum momento, sucumbiram ao show de força Peugeot. Seria até mesmo depreciativo abordar o caso de Nasser Al Attiyah como um mero estranho, tanto que o seu nome tem sido eloquente nesta temporada. Desde o seu abandono na 3ª etapa do Dakar em janeiro, enquanto liderava a corrida, o piloto do Qatar conquistou sete das oito corridas em que ele competiu, entre elas, a terceira Copa do Mundo de Rali, com uma vitória simbolicamente importante sobre Loeb na última etapa da competição no Marrocos. A confiança de Al Attiyah reside tanto na ciência, quanto nos desenvolvimentos da equipe Toyota Gazoo Racing, a Hilux também conta com Giniel de Villiers, o vencedor do Dakar em 2009. O progresso em termos de desempenho poderia ser igualmente notável do lado do X-Raid, que alinha três buggies de duas rodas confiadas a Mikko Hirvonen, o recém-chegado Bryce Menzies e Yazeed Al Rajhi. Mas Sven Qandt, chefe da equipe alemã, confiou no seu bem mais confiável, ou seja, o 4×4 Mini, vencedor quádruplo do Dakar entre 2012 e 2015, para as maõs de seu piloto titular, Joan “Nani” Roma, bem como Orly Terranova. No clã X-Raid, ambos podem apontar para o pódio, melhor ainda para os amantes do Dakar, grandes disputas e muita adrenalina esperam por todos nós a partir deste sábado, 06 de janeiro.

Leandro

Fundador e Sócio Proprietário do Guia Off-Road, Analista de Sistemas, Apresentador, Editor e bloqueiro no portal Guia Off-Road. Atualmente sou estudante de Fisioterapia na UFRN em Santa Cruz-RN. Sou amante e admirador do offroad, onde procuro contribuir com o crescimento deste esporte tão fascinante, através do nosso trabalho contínuo a frente do Guia Off-Road.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close